jusbrasil.com.br
21 de Agosto de 2019
    Adicione tópicos

    Frente parlamentar em defesa das empresas do setor têxtil

    Em nova reunião da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Têxtil e de Confecção do Estado de São Paulo com entidades de representação de empresários e trabalhadores do ramo, foi aprovado, nesta sexta-feira, 15/1, na Assembleia Legislativa, um documento em defesa da retomada de competitividade das empresas do setor, que vem perdendo espaço para a concorrência internacional e de outros Estados da União.

    O documento será encaminhado ao secretário estadual da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, com um texto de apoio dos deputados da frente parlamentar. Empresários e trabalhadores se ressentem da competição de outros Estados que oferecem vantagens fiscais consideradas inconstitucionais, obrigando as empresas paulistas a encerrar as suas atividades ou a transferir suas sedes.

    "São empregos perdidos. Mesmo com o aquecimento do mercado de trabalho, se as empresas têxteis e de confecção fecharem ou se transferirem para outros Estados, as pessoas que forem demitidas, e que são profissionais especializados, não vão migrar automaticamente para outros empregos. Já há um grande número de desempregados para ser absorvido. Não é assim que a economia funciona", argumenta o deputado Davi Zaia (PPS), integrante da frente parlamentar.

    dzaia@al.sp.gov.br

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)