jusbrasil.com.br
19 de Agosto de 2019
    Adicione tópicos

    Butantã não requereu certificação de vacinas

    "A informação do Instituto Butantã de que sua nova unidade de fabricação de vacinas ainda não produz vacinas por falta de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não é verdadeira". Esta afirmação é do diretor da agência, Dirceu Barbano, em correspondência enviada ao líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa paulista, Antonio Mentor.

    Segundo Barbano, "o Butantã nunca requereu processo de avaliação da nova fábrica para a Certificação das Boas Práticas de Fabricação (CBPF)".

    A questão surgiu, porque em 26/5, os deputados Antonio Mentor e Fausto Figueira (presidente da Comissão de Saúde e Higiene) estiveram no Instituto Butantã para apurar denúncia de que a fábrica de vacinas da gripe comum e H1N1 nunca funcionou, apesar de ter sido inaugurada em abril de 2007, pelo ex-governador de São Paulo, José Serra. Durante a visita, os deputados obtiveram a confirmação da não operação da fábrica pelo diretor do instituto, Otávio Mercadante, que se comprometeu a enviar mais informações por escrito aos parlamentares.

    Em repercussão ao assunto, o jornal Folha de S. Paulo, em 28/5, publicou reportagem na qual afirma que: "A fábrica está parada porque o Butantã ainda não obteve as certificações da Anvisa e da Sanofi Pasteur, multinacional que detém a tecnologia de produção da droga", e que "O Butantã justificou a demora para iniciar a fabricação afirmando que o processo de validação e certificação de uma unidade produtiva é sempre complexo".

    imprensa@ptalesp.org.br

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)